Mudamos o mundo todos os dias. A qualquer hora. Sem censura. Amarga ou doce. Com ou sem o primeiro gomo de tangerina.

Friday, July 29, 2005

They had a date with fate...

(explicação do post sobre o Louie. Porque escolho o Louie e não o famoso e estiloso Rick? Um pequeno post levantado pela simples saudação da Kitty num comentário deixado nesta chafarica)

Não sei porquê mas, cara Kitty, sempre fui mais uma rapariga que aprendeu (ou melhor, um dia alertaram-me para esta visão da realidade) a admirar o estilo Louie do que género "lonesome cowboy" do Rick, que no fundo só demonstra cobardia. É o estilo puto rebelde que desistiu sem uma causa e que, ao parecer sacrificar-se pelo bem da amada, o que na realidade acabou por fazer foi condenar duas pessoas à infelicidade... e acobardar-se perante a possibilidade de ter ele a sua própria felicidade (ou não. Nunca saberemos se, no fundo, a Ilsa até não queria era estar com o marido).

É a teoria de que a tristeza e a solidão é um lugar conhecido e «amigável». E a luta pela felicidade pode ser atemorizante... O Louie é de carne e osso: na sua esperteza em se manter à tona vai fazendo o bem por onde pode sem nunca deixar de pensar em si. Parece mais real. No fundo, no fundo, as boas intenções podem fazer muitos estragos... Não quer parecer algo que não é. Já viu a história toda, faz de confidente, e vai vivendo. Sem grandes aspirações, mas também sem grandes desilusões. Não tem o crivo de «famoso», «estiloso», «snob». Não veste bem, não tem charme. É o que é. E não deve nada a ninguém. Dá e recebe na mesma proporção. E não quer é que o chateiem. E não é o que todos queremos? Fazer de sacrificado e sofredor, mas com estilo está bem para as passagens de modelos do Armani...

E, claro, Paris está lá para nós. Mas não como um lugar saudosista, nem melancólico. Às vezes quando vejo o Rick começo a ouvir fado... Confesso que há uma frase que gosto particularmente «They had a date with fate in Casablanca!». Mas este fado é daqueles que poderia ter sido mudado. Fica bem o filme acabar assim. Não lhe daria outra conclusão. Não é isso. Ele é perfeito assim, como é. Agora, não é por isso que eu tenho de gostar da personagem do Rick. Acho que prefiro o gajo da sombra. Mais do que a «estrela da companhia». É mais isso.

5 Comments:

Blogger T? said...

E tu a dar-lhe...Pronto, já passou....

Kiss ;)

12:44 PM

 
Blogger SGC said...

Acutilante, mto acutilante. extremely acutilante! Conhecendo-te cmo conheço, só poderias admirar essa personagem do filme... ;-)
Kissies e um grande abraço!

1:56 AM

 
Anonymous Anonymous said...

O Comércio do Porto ainda vive.
Leiam-nos em
ocomerciodoporto.blogspot.com

8:11 PM

 
Blogger Judite said...

Já passou? É aquela resposta tipo: não concordo, não mudo de ideias, mas não estou para fazer uma tese sobre o assunto, né?
Bacci, bacci

10:06 AM

 
Blogger SGC said...

Inspirada pelo teu post, resolvi fazer outra das minhas teses e o post é-te dedicado... ;-)
Kissies eum grande abraço!

12:43 AM

 

Post a Comment

<< Home