Mudamos o mundo todos os dias. A qualquer hora. Sem censura. Amarga ou doce. Com ou sem o primeiro gomo de tangerina.

Thursday, September 01, 2005

Ó Manel, impede-me de votar Soares e Cavaco - a prece continua

(Um comentário que se transformou em post. Por quem pergunta, merece uma resposta completa).


«Não votas no Cavaco? Sempre soube qu não gostavas do homem, mas não imaginava que a aversão chegaria a este ponto... E por que não uma candidatura à direita do professor?Será que não há mesmo ninguém com capacidade para ocupar o Palácio de Belém q seja verdadeiramente de direita? Isso sim, seria uma eleição gira. Quanto a mim, já sabes: voto Soares, sem ter que recorrer a qualquer ajuda digestiva. Não é, de facto, a solução mais saudável, mas como as duas hipóteses mais viáveis para o centro-esquerda (Gueterres e Vitorino) não quiseram avançar, é o único que pode fazer frente a Cavaco. Tenho muito respeito por Manuel Alegre, mas ele seria esmagado por Cavaco nas urnas. E uma eleição, para todos os efeitos, é um campeonato que convém ganhar.»

G



Oi G,

discordo - que é para não variar ;) - da certeza com que falas da derrota de Manuel Alegre.

Não é certo e nem seria justo.

Porque não é justo optar por quem há dois meses disse que seria um «erro político» avançar e agora avança, e que garantiu, no final do mês de Julho, que apoiaria o amigo-Alegre e, logo após a peça do Público sobre o poeta disposto a combater Cavaco, Soares avança no Expresso com a reflexão. E logo de forma concertada surge Sócrates a apoiar.

Ora bolas!!!!! E por falar em candidatura de esquerda... tirando a do Alegre, há alguma? Esta história do Soares faz lembrar um episódio dos Monty Python... E o que é grave é que eu vou optar pela «flying cow» - piada ao facto de Soares ser desde os finais da década de 80 uma espécie de vaca sagrada do regime... - do que pelo Cavaco «cristalizado». Por todas as razões e mais algumas...

Portanto, tirando Alegre - porque quem não avança não é candidato, né? - esquece Vitorino e esquece Guterres. E eu esqueço Adriano Moreira, que, como sabes seria o candidato por mim escolhido, mas que não tem idade. Nem paciência. Ao contrário do Soares: esse tem paciência, continua é com demasiada idade.

Sobre a tua pergunta, tirando professor há... o professor. O outro. Que deveria tirar o tapete ao Cavaco, de vez, e avançar. Dizendo algo do género: «amigos, se continuamos à espera e o gajo ainda diz que não, perdemos meses e meses de campanha». Mesmo que Cavaco avance, isso já aconteceu...

Gente de direita com capacidade até deve haver. Mas tirando o Adriano Moreira não me lembro de mais ninguém. Mas G, não há ninguém de esquerda também. O Soares não é uma hipótese. Será um voto, se Deus me quiser dar uma lição e tirar-me palavras da boca como «nunca, jamais», mas não é uma hipótese. Não com aquela idade. Nao com uma terceira volta. O que significa a eleição de Soares: que a esquerda não tem ninguém. Isso é certo. Porque Alegre, que dá todas as razões no seu discurso para avançar, como diz o Calvin, acaba por ficar quietinho, mostrando ao PS-interno que tem poder, sobretudo dentro do Grupo Parlamentar. Para além de um trica interna, foi pouco mais do que isso, e é pena.

E até preferia o Manuel João Vieira: mas para rei dos matraquilhos...

3 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Aceito todos os argumentos que te levam a criticar Soares e as suas contradições. Mas em relação a Soares, sou daqueles que, assumidamente, lhe desculpam quase tudo: afinal de contas, sem ele talvez tivéssemos mesmo caído numa ditadura comunista e isso não é, apenas, um pormenor da história...

Sobre o que dizes de Alegre, continuo a discordar em absoluto: admiro a figura, o passado e a veia poética, mas do ponto de vista meramente pol+itico, Alegre está a ser sobrevalorizado. Entendamo-nos: o homem foi esmagado nas eleições internas do PS (para os mais esquecidos, Socrates arrasou a ala esquerda por 80-20 (16 para o Alegre, 4 para o Joao Soares).
Quem perde assim, de forma tão esmagadora, o partido, não pode sonhar em ser o candidato do centro-esquerda. Alegre não ganharia um único voto à direita e nem o pleno do PS faria. Apenas tinha os votos do BE, de algum PC e de algum PS. Muito pouco. Seria arrasado por Cavaco ai por um 70-30.

Soares é outra conversa. Vai ganhar quase todos os votos à esquerda do PS, ganha todo o PS (mesmo quem hoje diz que preferia Alegre) e ainda conseguirá conquistar alguns votos àquela direita que detesta Cavaco.

Não estou a dizer que chega para derrotar Cavaco, mas não tenho dúvidas que Soares é, mesmo, o único candidato com hipóteses de evitar uma Presidência Cavaco. Mesmo reconhecendo todos as contradições de Soares, prefiro o jovem octogenário a um Presidente pouco culto e impreparado, como seria Cavaco.

G

6:08 PM

 
Blogger portugal da silva said...

...só para dizer que Adriano Moreira sim, faria toda a diferença!

Penso até que nem se deve misturar com os principais responsáveis pelo estado em que o país se encontra, que são Soares e Cavaco, não acha?

Mas os países têm destas coisas...não escolhem os mais capazes.

O problema é claramente o do processo de selecção dos candidatos e respectivos apoios.

Os directórios partidários, controlados por uma espécie de caciquismo democrático (vidé Soares para o PS), escolhem quem bem entendem apoiar, sem terem em conta as necessidades reais do país, em cada momento da sua história.

Ora, está mais que provado que, quer Soares, quer Cavaco, não têm capacidade para dirigir o país: alguém tem dúvida de que Portugal está como está devido à acção ou omissão desses dois quando estiveram à frente dos respectivos partidos, no governo e até na presidência da república, no caso de Soares?

8:05 PM

 
Blogger Xano said...

E o Pinto da Costa? Pelo emnos tem piada! Viva, beijos de fim-de-semana

1:54 AM

 

Post a Comment

<< Home